10 filmes transgressores para você conhecer o lado macabro do cinema francês

No cinema francês de terror você conhecerá um mundo cruel e cheio de agressividade. Bienvenue au cinéma français extrême.

Quando se fala de cinema francês muitos lembram de filmes lentos, em preto e branco, intelectuais, Godard, parisienses fumando cigarro na varanda de boina recitando poesias com uma taça de vinho tinto na mão e sendo charmosos. Mas, como sempre, existe um lado macabro para tudo, o do cinema francês é visceral, gore, agressivo de uma maneira que até os mais experientes do terror chegam a tirar os olhos da tela, bienvenue au cinéma français extrême.

E se mesmo com o aviso você deseja se adentrar nesse mundo tenebroso, esses são os melhores filmes para começar:

A Invasora

 l’intérieur, 2007 // Dirigido por Alexandre Bustillo e Julien Maury. Quatro meses após a morte de seu marido, uma mulher à beira da maternidade é atormentada em sua casa por uma visitante macabra que deseja seu filho prestes a nascer. Esse filme é de uma agressividade raivosa, a cena pré créditos já é uma tijolada na cara e depois disso é um redemoinho que só piora, tenso, visceral, gore, todas essas características atingem um novo patamar depois de assistir A Invasora.

Mártires

Martyrs, 2008 // Dirigido por Pascal Laugier. A busca de vingança de uma jovem contra as pessoas que a sequestraram e atormentaram quando criança a leva, junto uma amiga que também foi vítima de abuso infantil, a uma jornada macabra em um inferno de depravação e tormentos. O que é real e o que é trauma? A vingança sobre essa família, mesmo se for real, tem justificativa para esse nível violência? Quando o diretor foi questionado sobre a semelhança de estilo do seu filme com Jogos Mortais e O Albergue, ele replicou “Mártires tem a ver com dor e não com tortura”.

Eles

Ils, 2006 // Dirigido por David Moreau e Xavier Palud. Lucas e Clementine vivem pacificamente em sua casa de campo isolada, mas uma noite acordam com um barulho estranho … eles não estão sozinhos … e um grupo de assaltantes encapuzados começa a aterrorizá-los durante essa noite macabra. Baseado em fatos reais, depois disso quem ainda viaja para a área rural francesa?

Carne e Sozinho Contra Todos

Carne, 1991 e Seul contre tous, 1998 // Dirigido por Gaspar Noé. O curta-metragem do Gaspar Noé, Carne e sua sequência longa-metragem Sozinho Contra Todos. Carne conta a violenta história de um açougueiro de cavalos parisiense (aparentemente existe isso lá) que cria a filha sozinho numa rotina tortuosa, só que depois de um incidente acaba entrando numa insana trilha de agressividade, e, como o caminho do mal é longo, tem a sequência longa-metragem Sozinho Contra Todos de quando ele sai da prisão.
É do diretor de Irreversível, que dispensa apresentações, então é fácil de imaginar o nível que vai chegar.

Alta Tensão

Haute Tension, 2003 // Dirigido por Alexandre Aja. As melhores amigas Marie e Alexia decidem passar um fim de semana tranquilo na casa de fazenda isolada dos pais de Alexia. Mas na noite de sua chegada, a fuga idílica das meninas se transforma em uma noite macabra com terrores sem fim ao serem perseguidas por um caminhoneiro psicopata. Fácil de se envolver com as personagens tornando assim um filme bem tenso até o fim.

(A) Fronteira

Frontière(s), 2007 // Dirigido por Xavier Gens. Uma gangue de jovens ladrões foge de Paris durante as violentas manifestações de uma eleição, mas acabam parando em uma pousada macabra dirigida por neonazistas. O que pode ser pior que neonazistas? Bom, esses além de serem neonazistas são também canibais que estão tentando criar uma nova raça ariana.

Vingança

Revenge, 2017 // Dirigido por Coralie Fargeat. A história mostra três CEOs ricos e de meia-idade — todos homens casados de família — se reunindo para seu jogo de caça anual em um desfiladeiro do deserto. É uma forma de desabafar e reafirmar sua masculinidade top com armas. Mas desta vez, um deles veio junto com sua jovem amante, que rapidamente despertou o interesse dos outros dois. As coisas saem do controle e ela é deixada para morrer no meio deste inferno árido. No entanto, a jovem está muito viva e o jogo de caça não vai ser como eles esperavam.

Grave

Grave, 2016 // Dirigido por Julia Ducournau. Criada como uma vegetariana rigorosa, Justine se torna caloura na renomada escola de veterinária Saint-Exupéry, onde a sua irmã mais velha, Alexia, já estava estudando e é super popular. Lá, fora do abrigo familiar, Justine muda abruptamente para um novo mundo louco de estranhas tradições escolares e testes de iniciação cruéis, e em pouco tempo, ela terá que rever suas crenças inabaláveis. Cada vez mais, à medida que Justine está submergindo em tendências animalescas desconhecidas, um desejo sem precedentes e igualmente insaciável por carne crua substituirá sua repulsa, transformando-a em algo que ela nunca teria esperado. Ritos de iniciação sádicos, horror e canibalismo — mais um dia típico numa universidade francesa.

*

Curtiu o post? Não deixe de checar  nossa lista com 10 filmes sul-coreanos bem macabros para conferir na Netflix. Comente este post com a Macabra no Twitter e Instagram.

Compartilhe:
pin it
Publicado por

Entre nutrir as crianças da noite e suas melodias peculiares, se dedica a leituras lúgubres e a cinematografia obscura. Já usava máscaras antes de virar mainstream e vai continuar usando mesmo depois da peste. MACABRA™️ - FEAR IS NATURAL.