Terra e Luz: vampiros e terror em um Brasil pós-apocalíptico

Filme de Renné França, lançado em 2017, mostra de maneira criativa e singela como o cinema especulativo no Brasil sobrevive mesmo às duras penas

Brasil, em um futuro assustador. A raça humana quase foi dizimada por vampiros. Um homem (Pedro Otto), sobrevivente, faz o possível para escapar desses perigosos inimigos, sempre evitando a noite, sempre se protegendo como pode. Ao encontrar uma garotinha, Lúcia (Maya dos Anjos), descobre que pode se redimir, se reencontrar, se humanizar novamente ao manter por perto, depois de tantos anos, uma companhia inocente no meio de uma terra devastada.

O filme é de 2017, dirigido e escrito por Renné França, muitíssimo elogiado nos festivais de Tiradentes e no Fantaspoa de 2018. Gravado somente com 6 mil reais, tirados do bolso do próprio diretor, é um filme bastante honesto e trabalha muito bem com o que tem em mãos.

Em entrevista, o diretor afirmou que não imaginava fazer um filme de terror, que nem mesmo é um de seus gêneros preferidos. A ideia surgiu entre uma viagem da cidade em que mora, até a capital de Goiás, Goiânia. França passou 12 anos como crítico e teórico de cinema antes de pensar ser um diretor.

O filme conta com pouquíssimos diálogos, e nos faz refletir sobre sobrevivência. Até onde você iria para sobreviver a esses vampiros? Mesmo que não tivesse nada pelo que lutar, você continuaria tentando? E se você sobrevivesse até se tornar algo parecido com eles?  Canibalismo é um dos temas abordados, e se conecta fortemente com essa questão da sobrevivência. O alimento se tornou escasso, caçar e se alimentar dificulta as coisas na vida deste personagem principal. Quando se encontra com Lúcia as coisas ainda pioram, pois são duas bocas para alimentar.

Sendo uma criança, ela reclama constantemente de fome. Não somente, reclama também do Sol. Nosso personagem principal então conta que graças ao Sol eles podem continuar vivos. Que os vampiros tiraram deles o poder de observar um pôr do sol bonito e de ver as estrelas.

O filme soube usar seus espaços, ambientação e criaturas muito bem. As escolhas são muito espertas. Vemos pouco dos vampiros, mas sabemos que eles parecem perigosos. Não é necessário que a câmera foque em seus rostos para sabermos que eles poderiam destruir a raça humana. São representados por atores usando capas pretas, o que torna o clima de receio ainda maior. Seus ataques também, mesmo que aconteçam em poucos momentos do filme, são bastante assustadores.

Terra e Luz mostra como o cinema especulativo no Brasil sobrevive mesmo às duras penas. Você pode alugar ou comprar o filme nas plataformas de streaming Google Filmes e Youtube.

Compartilhe:
pin it
Publicado por

Acordo cedo todos os dias para passar o café e regar minhas plantas na fazenda. Aprecio o lado obscuro da arte e renovo meus pactos diariamente ao assistir filmes de terror. MACABRA™ - FEAR IS NATURAL.