Do riso ao horror: a carreira de Jordan Peele

Muitas risadas e muitos pesadelos nasceram com a criatividade de Jordan Peele. Relembre os grandes momentos de sua carreira.

Diretor, roteirista, produtor, ator, Jordan Peele foi um dos nomes que mais causou rebuliço nos últimos anos entre os produtores de terror. 

Com seus filmes marcados por críticas sociais fortes inteligentes, além do protagonismo negro no cinema, Peele se tornou um fenômeno. Corra! foi um sucesso instantâneo e absoluto, concorrendo ao Oscar nas categorias de Melhor Ator, Melhor Filme e Melhor Diretor, e ganhando a estatueta dourada na categoria de Melhor Roteiro. Nós, que veio dois anos depois, não ficou atrás. Sucesso estrondoso no cinema, com exibições especiais em festivais de cinema negro sempre lotados.

Peele começou sua carreira em um gênero que pode parecer muito distante do terror, mas que já andou de mãos dadas com ele muitas vezes: a comédia. 

Mad TV e Key & Peele

Após terminar a escola, Peele começou a se formar em Artes na Sarah Lawrence College, onde ficou só dois anos, abandonando o colégio com a amiga e futura contribuidora de projetos, a comediante Rebecca Drysdale, com quem trabalhou como roteirista na série Key & Peele

Após um período trabalhando com improvisos em grupos como Boom Chicago e The Second City, em 2003 Peele começou a trabalhar na Mad TV, programa de esquetes baseado no humor da revista Mad, de grande sucesso e longa duração nos Estados Unidos. Foi por volta desse período que conheceu Keegan-Michael Key, com quem trabalhou em episódios regulares da Mad Tv e também em outros projetos, como o clipe “White & Nerdy”, de Weird Al Yankovic. 

Ao longo dos anos como membro da equipe da Mad Tv, Peele também fez outros trabalhos na comédia que lhe renderam frutos e reconhecimento. Ganhou um Emmy pelo clipe “Sad 50 Cent”, onde incorpora o rapper 50 Cent contando sobre sua rivalidade com Kanye West e esteve em um vídeo viral encenando como um apoiador de Obama debatendo com uma apoiadora de Hillary Clinton (Lisa Donovan). Peele também fez uma audição para viver o próprio Barack Obama em outro programa de esquetes, o Saturday Night Live, mas não ganhou o papel.

Deixou a Mad Tv após cinco temporadas, quando o programa estava na 13ª temporada, em 2008 e, em seguida, manteve um papel recorrente no programa Childrens Hospital, da Adult Swim. 

Foi durante Key & Peele, entre os anos de 2012 e 2016, que Jordan Peele acabou se tornando ainda mais reconhecido no meio da comédia. Key & Peele tinha uma audiência menor que a Mad Tv e os programas da Adult Swim, mas foi onde a criatividade de Peele, e de Key, puderam ser melhor demonstradas. No Brasil, a série teve pouco reconhecimento.

Em 2014, Peele atuou como um agente do FBI na série Fargo, e em 2016, novamente ao lado de Key, atuou e produziu o filme de comédia de ação Keanu

A carreira no terror

LEIA+: O ESTADO DO HORROR NEGRO: CORRA! E ALÉM

Foi somente com Corra!, em 2017, que Peele iniciou sua carreira com o gênero. Mas, de acordo com uma história que conta, aos 12 anos o diretor e produtor já aterrorizava os coleguinhas. Em uma viagem de escola, certa noite, Peele resolveu contar uma história assustadora e viu que todos ficaram com medo. 

Corra! acabou se tornando um dos filmes mais rentáveis do horror recente, e um dos mais queridos também. Os motivos são vários: a crítica bem colocada de Peele sobre o racismo e as classes sociais, o trabalho primoroso como roteirista e diretor, o papel de Daniel Kaluuya e sua excelente atuação, os atores coadjuvantes — tudo trabalhou em harmonia para que Corra! entrasse para as listas de melhores filmes do ano, melhores filmes de terror da década, e filmes de terror mais aterrorizantes.

Logo em seguida, em 2019, Peele lançou seu segundo filme, Nós. O filme contou com um elenco de peso que incluiu as atrizes premiadas Lupita Nyong’o e Elizabeth Moss, além de Winston Duke e Tim Heideckerr, e foi também muito bem recebido pelo público e pela crítica. 

Nesse meio tempo, entre um filme e outro, Peele dirigiu, produziu e co-criou algumas séries para serviços de streaming. A primeira delas, Weird City, lançada em fevereiro de 2018, foi uma co-criação de Peele com Charlie Sanders para o serviço de streaming do Youtube. Em seguida, ainda em 2018, a série Lorena, true crime sobre o caso Lorena Bobbit, acusada de remover o pênis de seu marido e jogá-lo na lixeira, foi lançada através da plataforma Prime Video.

Após o sucesso de Nós, em 2019, Peele produziu e trabalhou como narrador do revival da série antológica Twilight Zone, que contou com duas temporadas. Em 2020, Peele produziu a série Hunters, sobre caçadores de nazistas. As duas séries foram produções para a Amazon Prime Video.

Algumas pessoas aparentam surpresa ao descobrir que Peele trabalhou tanto tempo com a comédia para só vir a trabalhar com o terror recentemente. Afinal, seus trabalhos até aqui são coesos e apresentam uma maturidade de quem trabalhou com o gênero por anos. Mas, em entrevista para o site Cinema Blend, e em outros canais, Peele já afirmou que não considera os dois gêneros tão diferentes assim. Para ele, são dois lados da mesma moeda.

“Qualquer filme de terror realmente bem-sucedido ou ótimo, você vai e vê um público que vai rir de nervosismo. Ambos tratam de construir a tensão e liberar de alguma forma. Mas, o mais importante para mim, para alcançar os dois, você precisa ter uma certa fundamentação, uma consistência. Então, para mim, foi tipo, ‘Olha, isso vai funcionar se eu aplicar essa história absurda à realidade.’”

Para Peele, afinal, trabalhar com o terror tem se mostrado uma ótima fonte de criatividade e uma forma inteligente de demonstrar suas críticas, assim como a comédia foi para ele por tantos anos.

O que vem por aí

LEIA+: DIRETORAS MACABRAS: A VOZ AUTÊNTICA DE NIA DACOSTA NO HORROR

Não sabemos se Jordan Peele retorna à comédia ou permanecerá no terror por longos anos, mas o fato é que ele ainda tem muito a nos entregar e agraciar com seu trabalho. 

Recentemente, Peele esteve envolvido com a produção de A Lenda de Candyman, através de sua produtora Monkeypaw Productions e com coprodução de Win Rosenfield. O filme, dirigido por Nia DaCosta é uma continuação espiritual do filme original de 1990, O Mistério de Candyman, baseado no livro de Clive Barker. Originalmente previsto para ser lançado em em 2020, teve que ser adiado pela crise da COVID19. Atualmente, sua estreia está prevista para 27 de agosto deste ano.

Em 2020 também foi anunciado que Peele e Rosenfield estarão juntos trabalhando no remake do filme de Wes Craven de 1991, As Criaturas Atrás das Paredes.

E, seu mais recente projeto é um filme ainda sem título, previsto para julho de 2022. Sua sinopse ainda não foi divulgada, mas alguns nomes já foram escalados para papéis, como Steven Yeun, Keke Palmer e Daniel Kaluuya.

*

Estamos todos ansiosos para saber quais serão os próximos passos desse artista multitalentoso. Gostou de conhecer mais sobre Jordan Peele? Comente com a Macabra no Twitter e Instagram. Confira a categoria Macabramente para conhecer mais sobre a história de grandes nomes do terror. 

 

Compartilhe:
pin it
Publicado por

Acordo cedo todos os dias para passar o café e regar minhas plantas na fazenda. Aprecio o lado obscuro da arte e renovo meus pactos diariamente ao assistir filmes de terror. MACABRA™ - FEAR IS NATURAL.