Ele me ama

Um ciclo doloroso que nem sempre tem fim. Confira o texto inédito de Paula Febbe para a Macabra.

Ele me dá presentes. Ele me ama. Ele paga o jantar. Ele me ama. Ele diz que me ama. Ele me ama. Ele vai me buscar no trabalho. Ele me ama. Ele vai me buscar no trabalho quando não peço. Ele me ama. Ele vai me buscar no meu curso. Ele me ama. Ele vai me buscar no meu curso quando não quero. Ele me ama. Ele vai casar comigo. Ele me ama. Ele escolhe o que devo vestir. Ele me ama. Ele olha meu celular. Ele me ama. Ele odeia meus ex-namorados. Ele me ama. Ele fica bravo pelo que acha que fiz. Ele me ama. Ele não me deixa sair sozinha. Ele me ama. Ele não me deixa ficar sozinha. Ele me ama. Ele odeia fotos de outros. Ele me ama. Ele me dá mais presentes. Ele me ama. Ele diz que me ama. Ele me ama. Ele paga a gasolina pra me levar. Ele me ama. Ele não divide o cinema. Ele me ama. Ele compra pipoca e refrigerante. Ele me ama. Ele fica bravo por nada. Ele me ama. Ele grita comigo. Ele me ama. Ele segura meu braço. Ele me ama. Ele odeia qualquer um que eu tenha beijado. Ele me ama. Ele odeia qualquer coisa que eu tenha amado. Ele me ama. Ele me acha muito bonita pra andar sozinha. Ele me ama. Ele não quer que eu cante. Ele me ama. Ele puxa meu cabelo. Ele me ama. Ele não quer que eu escreva. Ele me ama. Ele olha uma bunda. Ele me ama. Ele escolhe o que devo vestir. Ele me ama. Ele vai me buscar no trabalho quando não quero. Ele me ama. Ele me ama. Ele vigia e-mails do meu passado. Ele me ama. Ele acha que estou mentindo. Ele me ama. Ele diz que preciso acreditar em tudo o que ele diz. Ele me ama. Ele me chama de puta. Ele me ama. Ele me manda calar a boca. Ele me ama. Ele fala pra eu descer do carro senão vai jogar minhas coisas na rua. Ele me ama. Ele diz que tem nojo de mim. Ele me ama. Ele não me liga e não quer saber se estou bem. Ele me ama. Ele diz que não estava ouvindo o telefone. Ele me ama. Ele diz que mereço. Ele me ama. Ele me liga incontáveis vezes no dia. Ele me ama. Ele faz as pazes comigo. Ele me ama. Ele me dá presentes. Ele me ama. Ele quer ir embora. Ele me ama. Ele quer que eu volte. Ele me ama. Ele diz que vai mudar. Ele me ama. Ele diz que me ama. Ele me ama. Eu volto. Ele me ama. Ele me mata. Ele me ama.

LEIA+: BREU

 

Compartilhe:
pin it
Publicado por

Paula Febbe é escritora e roteirista, com trabalhos para sites, TVs, rádios e veículos impressos como Rolling Stone e Folha de São Paulo. Teve seu primeiro conto publicado em 2010, e desde então encontrou seu próprio caminho em meio a escrita. É autora de Relato Inspirado por Orelhas, Não, Sarau Inconsciente de um Alter Ego Esquizofrênico, Mãos Secas com Apenas Duas Folhas, Metástase e Cartas no Corredor da Morte, o último em parceria com a autora Cláudia Lemes. Em 2021, lançará um novo título pela DarkSide Books.